top of page
  • Foto do escritorCaroline Meijerink

O que Acontece Quando um Menor Comete um "Crime": Entendendo a Lei Tutelar Educativa


O que Acontece Quando um Menor Comete um Crime


Introdução:


Em Portugal, a Lei Tutelar Educativa oferece um arcabouço jurídico para lidar com a situação quando um jovem, menor, comete atos que, se fosse maior, seriam considerados crimes.


Nestes casos, a Lei busca não apenas responsabilizar os jovens, mas também (e principalmente) promover sua educação para o direito e reintegração na sociedade.


Quem São os "Menores Infratores":


Estão abrangidos pela Lei Tutelar Educativa os jovens entre os 12 e 16 anos, que cometam atos considerados crimes pela lei penal portuguesa. No entanto, devido à sua idade, eles não são processados e julgados como adultos. Em vez disso, passam por um processo chamado Processo Tutelar Educativo, no qual podem ser submetidos a medidas tutelares educativas, caso se verifique sua responsabilidade pelos atos e a necessidade de educação para o direito.


O que Acontece Quando um Menor Comete um "Crime": O Processo Tutelar Educativo:


Respondendo à questão "O que Acontece Quando um Menor Comete um "Crime"", o que ocorre é que será iniciado um processo específico para investigar a julgar aquilo que aconteceu. Esse processo se divide em duas fases principais: o inquérito tutelar educativo e a fase jurisdicional.


No inquérito, as autoridades buscam, muito resumidamente, determinar se os factos realmente ocorreram, e se o jovem em questão é o responsável por eles. Se o Ministério Público entender que é suficiente e adequado, o caso pode ser resolvido nessa fase, sem a necessidade de uma intervenção judicial.


Medidas Tutelares Educativas:


Caso o processo avance para a fase jurisdicional, o juiz pode aplicar uma série de medidas tutelares educativas, como admoestação, prestação de tarefas à comunidade, reparação ao ofendido e frequência em cursos específicos. A escolha da medida mais adequada é feita com base nas circunstâncias do caso, visando sempre a educação do jovem para o direito e sua reintegração na sociedade.


Conclusão:


A Lei Tutelar Educativa representa uma abordagem legal voltada não apenas para a punição, mas também para a educação e reintegração de jovens infratores na sociedade. É essencial compreender os procedimentos e medidas previstas por essa lei para garantir uma aplicação justa e eficaz da justiça juvenil em Portugal.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page